domingo, 19 de novembro de 2017

Prendas de Natal até 15€

Está a chegar Dezembro e, com ele, o Natal. Eu adoro o Natal e tudo o que vem com ele (menos as sobremesas natalícias, que não são muito a minha cena), adoro escolher presentes para a minha família e para os meus amigos, adoro as luzes nas ruas, adoro os pinheiros e adoro que ande toda a gente mais bem-disposta e com mais vontade de ajudar. 

Posto isto, e porque escolher prendas nem sempre é fácil, ficam aqui com várias sugestões de prendas bem simpáticas e que não vos vão levar à falência.




sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Estou viva!

Pelo menos, acho que sim. 

Esta semana foi tão cansativa que na quarta-feira de manhã acordei com a certeza absoluta de que era sexta-feira.

Entre visitas a casas, pesquisas de carros, umas 200 páginas de contratos e aplicações com letras bem pequeninas para ler e assinar, nem dei pelo tempo passar.

Já agora, ficam aqui com um pequeno update: desistimos de procurar casa. Além do problema de que procurar uma casa sem alcatifas é como procurar uma agulha num palheiro, para alugarem uma casa aqui  têm de dar provas dos vossos rendimentos (têm que provar que o vosso rendimento anual é, no mínimo, 30 vezes superior ao valor mensal da vossa renda) e esta malta tem alguma dificuldade em entender o conceito "eu ganho dinheiro, mas não o quero gastar", pelo que desistimos, porque só nos davam opções a preços que não estamos dispostos a pagar e todas as opções que a nós nos pareciam bem ficavam subitamente "indisponíveis". Adiante.

A pesquisa do carro está a ser feita inteiramente pelo homem, eu limito-me a dizer se acho o carro bonito ou feio, porque percebo tanto de carros como de pesca do atum (se calhar até percebo mais de pesca do atum, que estavam a passar um documentário sobre isso no Discovery aqui há uns dias).

E quanto ao meu contrato de trabalho está a ser tudo o que eu esperava que fosse: um pesadelo burocrático. Não por causa da clínica, mas por causa do Sistema Nacional de Saúde cá do sítio. Mas nada temam, que eu hei-de conseguir.

Assim sendo, bem-vindo fim-de-semana! E bom fim-de-semana para vocês todos!







sábado, 11 de novembro de 2017

Life in the UK | Alcatifas - parte 2

Já aqui falei das alcatifas várias vezes, do amor que os britânicos têm por elas e do amor que nós não temos. Não gosto de alcatifas. Não gostava de alcatifas antes de vir para cá e agora gosto ainda menos. É a coisinha mais nojenta e menos higiénica que alguém pode ter em casa e, no entanto, eles por aqui adoram-nas, vá-se lá perceber.

As alcatifas de nossa casa estão num estado deplorável, nota-se bem que já tiveram muito uso, pelo que pedimos à senhoria se as podia substituir. Até tivemos, recentemente, uma inspecção à casa e o inspector escreveu no relatório que ela precisa de mandar substituir as alcatifas, mas a resposta dela foi que "temos de esperar". Já estamos à espera há alguns meses e, no entanto, não a fazemos esperar pelo pagamento da renda (que não é nada barata, senhores, temos uma bonita renda de 4 dígitos). Como se costuma dizer, "Quem está mal, muda-se!" e é isso mesmo que vamos fazer.

Posto isto, já ando a contactar agências e ando a bisbilhotar tudo o que é site à procura da nossa futura casa. Problema: 99,999% das casas tem alcatifa. Já há algumas que não têm alcatifa na sala, mas depois têm nos quartos. E depois há aquelas que são a cereja no topo do bolo e têm alcatifa até na casa-de-banho. Posto isto, de cada vez que alguma agência me liga a perguntar que tipo de casa quero, depois de referir o número de quartos, o estacionamento (sim, vamos começar a conduzir pela esquerda) e essas coisas mais gerais, digo sempre "E há uma coisa que é mesmo muito importante para nós: não queremos alcatifa". Quase consigo ouvir as engrenagens do cérebro da pessoa que está do outro lado da linha a trabalhar para processarem o que acabei de dizer. Já tive todas as reacções possíveis: silêncios constrangedores, exclamações de espanto - "No carpets??? But why???, pessoas que simplesmente me despacham a dizer "não temos nenhuma casa sem alcatifas disponível" e pessoas que me tentam convencer de que as alcatifas não são assim tão más, que aquelas, daquela casa estão novinhas em folha e ainda ninguém as usou. Já estou a ficar cansada de repetir que as alcatifas não são higiénicas e que são apenas um conjunto infinito de ácaros, pó, sujidade e mais ácaros. "Mas são fofinhas!". Gente, eu quero que a minha cama seja fofinha. Eu quero que a manta polar na qual me embrulho para ver televisão no inverno seja fofinha. Eu não preciso que o chão seja fofinho. Além disso, eu uso umas coisas chamadas "meias" (say whaaat?) e, às vezes, até cometo a loucura de usar pantufas. Sim, pantufas, eu sei que é uma coisa super à frente, mas eu gosto de viver no limite.

Bem, para concluir, fiquem a saber que já nos agendaram algumas visitas, para os próximos dias, de casa sem alcatifas (aparentemente). Vamos lá ver se é desta que nos livramos deste flagelo!

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Sobre os dias de boas notícias

Tenho andado desaparecida daqui e do instagram, porque os últimos dias têm sido caóticos. Não vos vou aborrecer com muitos detalhes, senão não saímos daqui, mas vou fazer-vos um pequeno resumo.

Como sabem, mudei-me de França para Inglaterra no fim do mês de Maio. A primeira etapa, depois de aqui chegar, foi começar a tratar da inscrição na Ordem. Minto, a primeira etapa foi dormir e desfazer malas, que isto de mudar de país 2 vezes em 3 anos tem muito que se lhe diga. Mas, logo a seguir, tive de tratar da Ordem. Depois, tive de fazer o IELTS, que fiz no fim de Julho, e a seguir tive de esperar. Os papéis da Ordem, que provam que tenho o direito a exercer aqui no UK, chegaram no início de Setembro e comecei, então, a procurar trabalho. 

Não sei se há por aí dentistas a lerem-me mas, se houver, fica aqui o conselho: vão antes para França, que é muito mais simples, especialmente, para pessoas acabadas de sair da faculdade. Não é o meu caso, já saí da faculdade há 6 anos atrás (*pequena pausa para eu ter um micro-AVC*) mas, como estamos muito perto de Londres, a coisa também estava complicada e só me ofereciam trabalhos em zonas que ficam ali para os lados de nenhures, onde Judas perdeu as botas. Como a única razão pela qual eu me mudei para aqui foi estar com o meu namorado, então não dava. 

Eu sou pessoa que se dá muito bem em casa, a fazer nada todos os dias. Adoro quando as minhas únicas preocupações são tratar da casa e cozinhar e andava super relaxada. #sóquenão. Odeio estar em casa e odeio tudo o que esteja relacionado com tarefas domésticas e estava, sinceramente, a ficar maluquinha, que esta vida de dondoca não é mesmo para mim. "Ah, mas fez-te bem descansar estes meses". Se vocês soubessem o stress, o desespero por querer ir trabalhar e fazer alguma coisa de útil e não poder, não diziam isso. Não descansei nada e só dei cabo do meu sistema nervoso, a verdade é essa.

Mas, finalmente, surgiu uma luz ao fundo do túnel. Chamaram-me para uma entrevista, no fim da qual me deram a escolher entre 2 clínicas aqui perto de onde moramos. Ontem à noite ligou-me o director clínico para me fazer mais uma entrevista (sinceramente, parecia que estava de volta à faculdade a ser examinada) e hoje de manhã cedo ligaram-me, para me dizerem que o director clínico tinha ficado muito impressionado comigo e que era oficial: vou trabalhar com eles.

Sei que ainda tenho todo um pesadelo burocrático pela frente, mas já tenho trabalho. E estou tão, mas tão feliz, que quis vir partilhar a boa notícia aqui no blog, com os meus leitores fofinhos que, parecendo que não, foram uma ajuda preciosa para eu sobreviver aos últimos meses. Obrigada a vocês e venham daí os próximos desafios.


sábado, 4 de novembro de 2017

Os 10 Melhores Beauty Advent Calendars de 2017

Pois é, está a chegar aquela altura do ano, amada por muitos e temida por outros tantos, que é o Natal. 

E o que é que vem com o Natal? Família, amigos, comida boa, prendas. E, claro, calendários de advento. Não, não estou a falar dos conhecidos calendários de chocolates (aos quais vou tentar resistir este ano), mas sim dos calendários de beleza, que têm vindo a ganhar terreno desde há uns anos para cá e que cada vez são mais e mais elaborados (e caros, também). 

Posto isto, e porque a Isabel foi à página do blog no facebook (já foram fazer like? Então toca a ir) pedir para eu fazer este post, cá está ele. Depois de muita pesquisa, seleccionei aqueles que me pareceram ser os melhores calendários de advento de 2017. Claro que isto é apenas a minha opinião pessoal e vale o que vale, mas espero que gostem das minhas escolhas. Se gostarem tanto que até me queiram oferecer um, força nisso.

Como devem imaginar, há toda uma imensidão de calendários de advento que se vendem aqui no UK e dei o meu melhor para encontrar calendários que acho que vão poder comprar em Portugal. Penso que será o caso para todos os que vou mostrar, seja em loja física ou online (excepto um, que já vão ver qual é, mas gostei tanto dele, que não o quis deixar de fora) mas, se não for, peço desde já desculpa. A verdade é que a malta no UK leva os calendários de advento muito mais a sério que a malta em Portugal, mas espero que também venham a estar disponíveis aí!

Vamos lá, então, ao que interessa. 

10 - The Body Shop




Já há algum tempo que esta marca nos habituou aos seus calendários de advento que, a meu ver, perdem um bocadinho na questão do design, que é igual ano após ano. Mas, a qualidade dos produtos não se discute. Este ano, têm 3 calendários à disposição: um de 60€, com produtos no valor de 102€, um de 80€, com produtos no valor de 139€, e um de 140€, com produtos no valor de 245,50€. Nestes calendários vão encontrar vários produtos da marca, desde os produtos de corpo, aos cuidados de rosto e passando, ainda, pela maquilhagem. Um grande ponto a favor desta marca é que tudo é Cruelty Free.

9 - NYX Kiss and Tell Advent Calendar


Se forem tão fãs como eu dos produtos da NYX, então não vão querer perder esta pequena maravilha. Estou muito tentada a mandar vir um cá para casa. Só é pena o preço, que aqui é de 50£ (mas são 24 batons). 

8 - L'Occitane


Aprendi a gostar desta marca durante os anos em que vivi em França e, desde que a comecei a usar, que a lista de produtos deles que adoro aumenta sem parar. Adoro os cremes de mãos, de pés, de corpo, de rosto, adoro os produtos de banho e de cabelo, enfim, adoro tudo. Portanto, um calendário de advento deles só podia vir parar à minha lista de favoritos. Este ano, têm dois à disposição: um deles é o clássico, custa 49€ e vem com produtos no valor de 84€, e o outro é o premium, que custa 99€ e traz produtos no valor de 131€.


Só consegui encontrar esta pequena maravilha disponível nos sites da marca no Reino Unido e em França, mas quero muito acreditar que vai estar à venda também em Portugal, porque é só assim maravilhoso. Por 72€, recebem um calendário com 24 produtos da Kiehl's no valor de mais de 200€, segundo a informação do site (imagino que tenham feito as contas aos produtos na versão miniatura vs. versão original). E quem não gosta da Kiehl's? Só mesmo quem nunca tiver experimentado.


Tenho para mim que este menino vai ser a perdição de muitas amantes dos cuidados de pele (como eu), tendo em conta que a Clarins é uma referência no mundo das marcas de beleza. Não o consegui encontrar no site português, mas no inglês já está à venda, pela módica quantia de 95£. Mas 95£ sempre é melhor do que dar um rim, que é o que aposto que muita gente daria em troca de deitar as garras a este bebé.



Eu sei que o pessoal agora anda todo rendido às unhas de gel e até já se começam a ver algumas bonitas e bem feitas, mas é moda que a mim ainda não me convenceu. Gosto muito das minhas unhas naturais e, até hoje, continuo a preferir pintá-las com vernizes "normais". Sim, só duram 2 dias. 3, se evitarem movimentos bruscos. Mas, ainda assim, prefiro. Portanto, uma coisinha destas no meu sapatinho, vinha mesmo, mesmo, mesmo a calhar.

4 - Benefit




A Benefit também aderiu à moda dos calendários de advento e, este ano, vai lançar um calendário de 12 dias, com 12 miniaturas de alguns dos seus produtos mais icónicos (e miniaturas dão sempre jeito para viagens ou para trazer na carteira). No preciso momento em que estou a escrever isto, ainda não estão à venda, razão pela qual não posso partilhar aqui nenhum link, mas mantenham-se atentas, que eles aparecem.


Este calendário é exclusivo do Selfridges, mas se conseguirem deitem-lhe as mãos. Eu estou a ponderar seriamente uma excursão até Londres para ver se trago um destes para casa. Não é barato, custa 120£, mas atentem bem nos produtos que traz: YSL, Lancôme, Kiehl's... enfim, uma perdição e eu não podia deixar de falar nele.



Na minha singela opinião, a Rituals este ano esmerou-se e lançou aquele que é, provavelmente, o calendário de advento mais bonito do ano. A caixa do calendário transforma-se neste pinheiro amoroso e vem com 24 produtos. Custa 79.50€, e traz produtos com valor superior a 140€ e, a melhor notícia, é que já está disponível no site da marca em Portugal aqui


Vamos tirar um momento para apreciar a beleza desta imagem. Inspirem, expirem e não pirem. Esta pequena maravilha traz marcas de renome, como Estée Lauder, Bobbi Brown, Clininque. Aqui no Reino Unido custa 125£, o que não é pouco, mas a meu ver os produtos que traz justificam o preço. E a embalagem é uma estrela, malta, uma estrela. E é tão lindo. E pronto, é só isto.



Espero que tenham gostado dos calendários que vos mostrei aqui. Não se esqueçam que se me quiserem oferecer qualquer um deles (ou outro, que eu nem tenha mostrado) estão à vontadinha. E digam-me, estão a pensar comprar algum calendário este ano? Se sim, qual?















quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Sofia em passeio | Stowe e Oxford

No último domingo, decidimos aceitar o convite duns colegas de trabalho do homem para irmos dar a um passeio até Stowe, um parque que fica na região de Buckinghamshire. 

Eu gosto muito de passear, mas não sou uma pessoa nada matinal, a modos que no domingo, depois de ter acordado às 6h30 da manhã para nos pormos a caminho, estava extremamente rabugenta. Tão rabugenta, que até os colegas do meu namorado estavam com algum medo de falar comigo. Não faço de propósito, pessoas, mas sou uma pessoa que precisa do seu sono de beleza. Não tinha dormido, não tive tempo de tomar o pequeno-almoço e, ainda por cima, estava uma manhã muito fria e cinzenta. Juntaram-se os ingredientes todos para o desastre acontecer e o desastre aconteceu mesmo - eu estava capaz de bater em alguém.

Tive algum tempo para acalmar durante a viagem de carro e, quando chegámos ao parque, já eu estava de volta ao meu estado normal e não-assassino. Pagámos as entradas (12,40£ por pessoa) e fomos directamente ao café para recuperar as forças. Uma fatia de tarte de abóbora (não fiquei fã) e um chocolate quente depois, estávamos prontos para começar o passeio. 

O parque era tudo bom, gente. A manhã passou de cinzenta e fria para cheia de sol e agradável e o parque era o típico parque inglês: grandioso, cheio de árvores lindas e majestosas, cheio de recantos perfeitos, cheio de lagos e riachos, um lugar super tranquilo e perfeito para um passeio. Os ingleses são pessoas muito dadas ao mundo exterior, gostam de animais e do contacto com a natureza, característica deles que aprecio muito. Em Troyes, quando ia passear a um parque ao domingo, o mais provável era encontrá-lo quase deserto.

Caminhámos durante 2 horas e ficaram várias partes do parque por visitar, mas a barriga começou a dar horas, pelo que decidimos que estava na hora de ir comer. Ainda pensámos comer por ali, mas alguém sugeriu irmos a Oxford, pelo que lá fomos nós. Eu adormeci no carro, felizmente, porque ao que parece apanhámos muito trânsito. Eram 16h quando nos sentámos no Pub para almoçar. A seguir, ainda fomos dar uma volta rápida, a pé, pela cidade. Gostei muito de Oxford, é uma cidade universitária e cheia de vida e de animação, com muita gente na rua e uma boa energia. Não ficámos até muito tarde, porque ainda tínhamos a viagem de regresso para fazer, mas foi o suficiente para ficar a gostar. 

Pequeno-almoço

Tarte de abóbora - não aconselho. Chocolate quente - oh yessss, baby.

Já no jardim

Ovelhas, ovelhas e mais ovelhas




Os cisnes a dormirem a sesta




Às vezes gosto de me armar em fotógrafa.

Vai um mergulho?


Aqui não dá para ver, mas este leão é vesgo

Eu a tentar fazer de conta que sou uma ovelha.



Adoro esta fotografia


Estas amigas vieram passear para a nossa beira


O homem achou que era giro ir fazer corta-mato no meio dos cocós das ovelhas






Encontrámos isto no parque de estacionamento. Eu não lhe liguei um chavo, mas o homem e os colegas gostaram. E tiraram fotos. E eu decidi mostrar-vos.



O Pub onde fomos almoçar, já em Oxford

Não se pode ir a Oxford e não visitar a Universidade

Sim, isto é uma árvore metálica no meio do campus universitário

Ainda fomos até ao castelo