domingo, 17 de dezembro de 2017

Sunday Wishes #23

Não sei se o mesmo se passa com vocês, mas os meus pés sofrem imenso com o frio e estou a precisar urgentemente de investir em calçado novo e mais adequado ao maravilhoso clima de inverno do UK. 

Enquanto eu não me decido sobre o que comprar, ficam aqui com algumas ideias, caso estejam a precisar do mesmo!




quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Product Review | Protector de calor Tresemmé, aka "O milagre anti-frizz"

Alguma vez vos aconteceu perderem imenso tempo a arranjar o cabelo - depois de terem usado a vossa máscara boa no banho - escovarem e passarem óleos vários até se sentirem satisfeitas com o que vos mostra o espelho e tudo isto para, 5 minutos mais tarde, saírem de casa, vos cair um pingo de chuva em cima e a vossa outrora crina reluzente e macia se transformar numa juba de leão? 

Uma das razões pelas quais eu odiava dias de chuva era porque já sabia que, desse por onde desse, o meu cabelo ia ficar arruinado. E o meu bom humor também. Experimentei tudo o que era produto anti-frizz e nunca nada funcionou, pelo que me dei por derrotada e nunca mais pensei no assunto (nem nunca mais saí de casa no inverno sem um casaco com carapuço). 

Pois bem, foi preciso chegar aos 29 anos para isso mudar. 

Há umas semanas, precisei de ir comprar um protector de calor. Escolhi o Keratin Smooth da Tresemmé pela simples razão de que já tinha a máscara da mesma gama e o meu cabelo se deu muito bem com ela, mas ainda bem que o fiz, porque mudou a minha vida. Bem, talvez não a minha vida, mas mudou a minha relação com os dias de chuva! Só em casa é que reparei que dizia "anti-frizz" e, sinceramente, já nem liguei porque achei que, tal como todos os produtos anti-frizz que já tinha tido, não ia ter efeito nenhum. E eu só precisava mesmo dum protector de calor. 

Há coisa de duas semanas, fomos a Londres. Depois de 40 minutos na fila para entrar na Winter Wonderland (que, já agora, ficam a saber que foi a maior desilusão de todos os tempos), começou a chover. Sabem aquela chuva miudinha, mas altamente irritante, que deixa o ar húmido e pesado? Foram horas disso, eu sem guarda-chuva e tínhamos um jantar a seguir. Pensei logo "pronto, bonito serviço, Maria Sofia, lá vais tu ficar um espantalho". E, já agora, não, o meu primeiro nome não é Maria. E também não é Ana, escusam de ir por aí. Mas, já me estou a desviar demasiado da história, vamos lá voltar a focar no que interessa. Depois de sei lá eu quanto tempo à chuva, chegámos ao restaurante, onde me apressei a procurar por alguma superfície brilhante o suficiente para me conseguir ver e, espantem-se, porque eu também me espantei: o meu cabelo estava impecável, tal como tinha saído de casa de manhã. "Queres ver que o protector de calor é mesmo anti-frizz?", mas apressei-me a calar o coro de anjos que já cantava o "Aleluia!" dentro da minha cabeça, porque precisava de mais provas. E, depois de muitas utilizações e de muitas saídas à chuva (acreditem que o pus à prova), posso finalmente afirmar que o raio do bicho funciona mesmo! Se é um bom protector de calor? Acho que sim, pelo menos, dá para usar em cabelo molhado ou seco, que é uma coisa que eu gosto. Mas, essencialmente, é o primeiro produto anti-frizz que funciona comigo e, só por isso, ser-lhe-ei fiel. 


segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Há dias assim...

Há dias em que uma pessoa se arrepende de sair da cama. E depois há os dias em que dizer que estamos arrependidos de ter saído da cama é o understatement duma vida. 

Mas, bola para a frente. Amanhã é um novo (e melhor!) dia.







domingo, 10 de dezembro de 2017

Favoritos de 2017

Posts de favoritos não são novidade para ninguém, mas achei imensa piada ao que fez a Rititi, que decidiu fazer posts com as coisas que mais gostou de 2017 e eu decidi fazer o mesmo.

O ano 2017 foi um ano cheio de acontecimentos e, contrariamente ao ano que o precedeu, foi um ano bom! (Vou para sempre recordar 2016 como uma bela bosta.)

Decidi, então, fazer aqui um apanhado do meu ano e partilhar os melhores momentos convosco!

Acontecimento preferido:

Bem, este acho que não é difícil. O meu acontecimento preferido foi mudar-me para Inglaterra. Sim, tem sido uma dor de cabeça atrás da outra, porque trabalhar na área da saúde é muito complicado, neste país com um fetiche por papéis. Quisesse eu vir para aqui mamar subsídios e ficar em casa a parir uma criança atrás da outra e ninguém me ia complicar tanto a vida (com jeitinho, até casa me ofereciam). Mas, pronto, o pesadelo dos papéis está a chegar ao fim (assim espero) e a verdade é que esta mudança foi muito boa para mim. Eu gostava de Troyes e da vidinha pacata que por lá levei, fiz lá alguns amigos, mas estava sozinha e, pior do que estar sozinha, era saber que havia alguém com quem queria estar, mas a viver a mais de 1000km de mim. Chegava a casa e não tinha ninguém com quem conversar ou com quem me aconchegar no sofá a ver um filme. E, por isso, afirmo com toda a certeza que o meu acontecimento preferido de 2017 foi vir para Inglaterra viver com o meu namorado (agora noivo, mas nunca hei-de habituar-me a chamar-lhe "noivo") e não trocava a vida que temos os dois por nada.




Viagem preferida:

2017 não foi dos anos em que eu mais tenha viajado, porque tive outras prioridades (como mudar-me dum país para outro pela segunda vez). Mesmo assim, ainda deu para ir à Suíça (conhecer Lausanne e Genebra), a Menorca, a Barcelona, ir inúmeras vezes a Paris (e uma à Disney), temos passeado um bocadinho aqui em Inglaterra e também andei a passear por Portugal durante o verão, portanto, nem me posso queixar muito. Espero que, no campo das viagens, a coisa anime um bocado em 2018 (já tenho planos, muitos planos, só falta pô-los em prática)! Não consigo escolher uma viagem preferida para este ano! Ir à Suíça foi óptimo, porque fui com uma das minhas melhores amigas, foi uma risota e descobrimos que a Suíça é bem mais bonita do que imaginávamos. Menorca foi espectacular, fui com o meu namorado e é um sítio lindo de morrer, com praias de areia branca e águas dum azul-perfeito. E, por último, Barcelona, que andava morta por conhecer e adorei. Portanto, ficam aqui com o meu top 3 (só incluí no top 3 sítios que tenha descoberto pela primeira vez, senão ficava ainda mais difícil escolher).

Eu, em Genebra, a achar que tenho 10 anos.

Presente preferido:

O meu anel de noivado. Não sei se conta verdadeiramente como um presente, mas não sabia em que categoria o havia de inserir.

Receita preferida:

Este ano, fartei-me de comer coisas boas (chocolates na Suíça, tapas em Espanha, todas as delícias portuguesas e francesas que possam imaginar), mas não posso deixar de referir aqui as minhas descobertas no mundo da cozinha vegetariana. Até agora, as receitas que mais gostei foram: hambúrgueres de grão-de-bico (que até já partilhei aqui) e a bolonhesa de lentilhas.

Filme preferido:

Tecnicamente, este filme é de 2016, mas eu só o vi este ano, razão pela qual o vou mencionar aqui: Collateral Beauty. Não vou fazer grandes comentários nem resumos, porque não faltam por aí, vou só dizer que vi, adorei e aconselho.


Momento preferido:

2017 foi um ano cheio de momentos felizes. Em família, entre amigos, a dois. Foi um ano de superação e de conquistas e chego ao fim do ano sem arrependimentos. Sou uma pessoa feliz e é o que se quer. No entanto, houve um momento que me marcou particularmente, que foi o meu último dia de trabalho. É um bocado estranho dizer que foi um momento preferido, porque foi um momento triste, mas foi também um momento em que eu tive a certeza que marquei as pessoas que trabalhavam comigo. Toda a gente chorou, desde as secretárias às médicas e a minha assistente agarrou-se a mim a chorar tanto que, mais tarde, me enviou uma mensagem a despedir-se por palavras, porque naquele momento não tinha conseguido falar. E, malta, é isto que nós levamos da vida. Podem ter os carros XPTO que quiserem, as roupas de marca, os sapatos de centenas de euros (ou milhares), mas são as pessoas que gostam de nós que realmente contam (que bonito que isto foi, digam lá).


A minha antiga casa, em Troyes (era a janela de cima)








sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Presentes de Natal solidários

Se há altura do ano durante a qual é fácil deixar-mo-nos levar pelo consumismo desenfreado, é o Natal. Eu estou constantemente a batalhar na tecla de que o Natal é uma altura de dar e não só de receber e acho que não custa nada, a quem pode, contribuir para a alegria de alguém. 

Sendo assim, decidi pesquisar sugestões de presentes solidários, algum são bem baratinhos e fazem uma prenda super gira, além de ajudarem uma óptima causa. 



Este pack de 5 estrelas custa 5€ (acresce 1€ para despesas de envio) e a totalidade do valor angariado vai ser usado para realizar os sonhos de crianças e jovens. Têm outras sugestões de presentes no site, todos bem acessíveis, que podem consultar aqui.



Com apenas 9€ conseguem assegurar a mensalidade de uma criança no Jardim Infantil da Ilha de Santo Antão, em Cabo Verde. 9€, para muitos de nós, é um montante que não custa nada dar e pode fazer toda a diferença por estas crianças. Para lerem mais informação sobre esta campanha cliquem aqui.



Este ano, a associação Leigos Para o Desenvolvimento, que é uma associação com vários projectos de voluntariado em Portugal, Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe, está a vender 2 modelos diferentes de presépios (cada um deles têm um custo de 10€). Podem ler mais aqui.


Por apenas 2€ podem comprar um barrete solidário nos restaurantes H3, na Santini e nas Lojas da Rádio Popular, assim como nas associações parceiras da campanha, que podem consultar aqui. O valor angariado reverte para projectos de apoio a pessoas com deficiência.

5 - Agenda Solidária IPO



As agendas têm andado na moda, muito graças às agendas da Mr Wonderful, que são super fofas. Mas, porque não comprar desta vez a agenda solidária do IPO? Custa 13€, é muito, muito gira e está à venda em livrarias e grandes superfícies.


Estas eram algumas das sugestões que tinha para vos fazer, são as que achei mais interessantes (e acrescento que já comprei o meu presente solidário, não vou dizer qual foi, mas está nesta lista). Espero que tenham gostado das minhas sugestões mas, se não gostaram, é só questão de fazerem uma pesquisa rápida no Google, porque não faltam opções de presentes solidários por aí.




quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Life in the UK - alcatifas parte #3

Bem, na verdade, este post tem muito pouco a ver com alcatifas, mas não sabia o que havia de lhe chamar. 

Então, vamos lá por partes. 

"Sofia, o que tens andado a fazer nos últimos tempos?"

Oh, nada de especial. Cursos, preencher formulários que nunca mais acabam, tratar de papéis, tenho papéis pela casa toda, já sonho com papéis, chamadas para aqui e para ali e gastar dinheiro, claro, que tudo o que é para dentistas é automaticamente inflacionado. Pequena dica: nós não somos a árvore das patacas. Não é só abanar e as notas caem.

"Mas, e onde entram as alcatifas neste história?"

Bem, não sei se se lembram que, aqui há uns tempos, andávamos tão descontentes com as alcatifas que até pensámos em mudar de casa. Acabámos a desistir, porque 99% das casas britânicas têm as ditas cujas. Esta semana, recebemos uma chamada a dizer que a senhoria ia mandar aqui uma empresa tirar medidas para substituir as alcatifas.

"Então, mas isso é bom!"

Podia ser. Mas, logo a seguir a dizerem que ela vai substituir as alcatifas, disseram que é porque vai vender o apartamento. Portanto, vamos ter alcatifas novas mas, a menos que o novo dono queira manter o apartamento alugado, vamos ficar desalojados. Claro que uma casa não se vende da noite para o dia, e mesmo que a vendam, vão dar-nos tempo para procurarmos outra, mas esta era a última dor de cabeça de que estávamos a precisar neste momento. 

Pronto, era só isto mesmo. Um desabafo, de mim para vocês.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

TAG | Christmas Time!

Acho imensa piada a TAG's, por isso, quando vi que a Rititi me nomeou para uma, ainda por cima natalícia, fiquei super contente. (Vão espreitar o blog dela, se quiserem ver o que ela respondeu!)



Como funciona esta TAG de Natal? Fácil, basicamente, eu tenho de responder aqui a 13 perguntas e tenho de nomear 7 bloggers para responderem também. Vamos lá, então!

1 - Qual é o teu filme de Natal favorito?

Curiosamente, o meu filme de Natal preferido é o mesmo da Rititi: The Holiday. Adoro. É o filme que vejo não só no Natal, mas também sempre que estou em baixo e preciso de algo que restaure a minha fé na Humanidade.

2 - Onde costumas passar o Natal?

O Natal é, para mim, como os meus aniversários, desde que os meus pais se separaram (corria o ano de 1820): passado a correr dum lado para o outro, a tentar estar um bocadinho com toda a minha família e a sentir que nunca consigo. Confesso que, chegada aos 29 anos, começo a ter cada vez menos paciência para isso e ando a tentar arranjar uma solução diferente.

3 - Qual é a tua música de Natal favorita?

I'll be home for Christmas, do Michael Bublé. 

4 - Abres os presentes na véspera de Natal?

Sim! Normalmente esperamos que chegue a meia-noite e abrimos os presentes todos.

5 - Por que tradições estás mais ansiosa este Natal?

Este Natal vai ser um bocadinho diferente, porque vamos ficar em Inglaterra, só eu e o meu namorado. Não é a primeira vez que vamos passar o Natal só os dois, porque no meu primeiro ano em França calhou-me a mim ser a dentista de urgência no dia 25 e ele foi lá passar o Natal comigo. Assim sendo, não vai haver muita margem para tradições, mas vamos manter a de esperar pela meia-noite para abrir as prendas!

6 - Tens uma árvore de Natal verdadeira ou falsa?

Falsa. 

7 - Qual o teu doce/comida favorita no Natal?

Durante muitos anos, o Natal foi a época festiva em que eu mais passei fome. É que não havia uma única coisa de que eu gostasse, a não ser as batatas e as cenouras cozidas. Entretanto, os anos foram passando e fiz as pazes com o bacalhau, que já consigo comer. Uma rabanada também passa. Duas rabanadas, se forem as da minha avó materna. Pão-de-ló com queijo da serra também marcha sempre, empurrado com vinho do Porto. Mas a única coisa que me sabe mesmo bem comer é a roupa velha (ou farrapo velho) do almoço de dia 25.

8 - Sê honesto: preferes dar ou receber presentes?

Vou ser honesta então... estão a ver aquela pessoa que acaba a ir trocar 90% das prendas que recebe ou, então, guarda-as para não ofender ninguém? Sou eu (não me julguem, não tenho culpa de ter nascido esquisita). Assim sendo, quase toda a gente desistiu de me escolher prendas, dão-me dinheiro ou pedem-me para especificar exactamente aquilo que quero e isso tira um bocado da piada à cena de receber presentes, porque já sei o que vão ser. Posto isto, vou dizer que gosto mais de dar, até porque a verdade é que eu adoro mesmo andar às compras e a escolher o que é que vou dar a quem.

9 - Qual foi o melhor presente que recebeste?

Já recebi muitos presentes espectaculares, no Natal e fora dele. Mas, estamos a falar de Natal, por isso vou dizer que o meu melhor presente foi em 2015, quando o meu namorado me disse que ia passar o Natal comigo a Troyes, sem eu lhe ter, sequer, pedido nada.

10 - Qual é o teu lugar de sonho para visitar no Natal?

Sempre achei que devia ser espectacular ir a Nova Iorque durante esta época natalícia mas, depois de ver a confusão que o Natal é em Londres, nem consigo imaginar o que deve ser Nova Iorque. Acho que ficava feliz a visitar qualquer uma das capitais europeias no Natal, mas mais feliz ainda por visitar a minha cidade natal (viram o trocadilho que fiz aqui?), que não é a capital do país, mas que eu adoro.

11 - Momento mais memorável das férias de Natal:

Ui, não sei... há-de ter sido algures durante a minha vida de estudante, mas acho que nunca tive férias de Natal assim verdadeiramente memoráveis.

12 - Como é que soubeste a verdade sobre o Pai Natal?

Acho que foi uma coisa natural, fui crescendo e começando a perceber que não fazia sentido e que não podia ser verdade. 

13 - És uma pro a embrulhar ou um fail completo?

Consigo ser uma pro, se estiver com a paciência necessária para isso.


Pronto, malta, está respondido. Espero que tenham gostado! E os 7 bloggers que vou nomear para responder a isto são: